sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Projeto Pindorama

Venha conhecer o Projeto Pindorama

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Preços da Gasolina em 2015

O CEO da Petrobras, Bendine, está querendo que o Governo Federal autorize aumentos de 15% para a gasolina neste ano, como me disseram minhas fontes.
Estocar gasolina em casa é extremamente perigoso, como também o são ....

sábado, 29 de agosto de 2015

Use seu cartão de crédito para economizar!

Li recentemente que milhões de milhas são perdidas anualmente por consumidores brasileiros usuários de cartões de crédito que acumulam milhas com suas compras e depois as perdem por vários motivos, dentre eles, não tiveram oportunidade de viajar, perderam a chance que tinham em mente, o PT destruiu seu poder de compra e seus reais compram menos dólares e euros. Os gerentes bancários, sabendo que a imensa maioria das milhas são pulverizadas, optam, claro, por lhe oferecer cartões que apresentam em suas "vantagens", milhas como recompensas. Assim, não lhe oferecem o cartão de crédito que é o mais vantajoso para seu cliente e sim aquele que é mais vantajoso para o banco. Você pode mudar isso!

Há boas notícias.

1- Quando você compra uma passagem com seu cartão, ao invés de usar milhas, há grandes chances de que seu cartão lhe ofereça gratuitamente um seguro de viagem, o que é muito valioso.

2- Há uma modalidade de cartão cujo uso está esquecido no Brasil devido aos motivos acima. Você pode pedir ao gerente de sua agência que troque seu cartão que lhe dá milhas, por um outro cartão que lhe dá descontos. Com esse cartão, inicialmente você recebe 1,5% de desconto em qualquer compra que faça. Na verdade, você paga o total da compra e isso lhe gera um crédito de 1,5% que pode resgatar imediatamente após o pagamento da fatura mensal. Você pode resgatar em dinheiro, na caixa eletrônica, ou colocar esse dinheiro como crédito a abater de sua próxima fatura. Depois de algum tempo de uso desse cartão, automaticamente o desconto passará para 2% e mais tarde ainda, para 2,5%!

3 - Como pedir o cartão? Ligue para seu gerente, ou para o telefone do seu cartão, e solicite a troca de seu cartão atual por um cartão "cash back", que é o cartão que lhe dá dinheiro de volta em todas as compras que você fizer.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Doenças Respiratórias

Doenças Respiratórias
- dor de garganta, laringite, sinusite, pneumonia, resfriados, dor de ouvido, tosse seca, tosse produtiva, asma, bronquite, pneumonia
Dicas que acumulei em anos de atendimento e observações que lhe ajudarão a se curar mais rapidamente e que você deve fazer com espírito crítico, observando, refletindo e tirando suas conclusões, juntamente com as prescrições de seu médico.
Banho frio ao acordar
Banho quente de chuveiro em caso de febre
Gargarejo com água quente e sal em caso de dor de garganta e dos ouvidos
Um pedaço de pimenta na ponta da língua alivia rapidamente as dores de garganta.
Em caso de dor de ouvido, dormir de lado, com o ouvido dolorido para cima
Comer batatinha cozida com a casca e temperada com pimenta tem se mostrado útil no tratamento de otites, sangramentos uterinos e infecções urinárias. Tabule idem.
Para abrir o apetite: maçã, laranja ou abacaxi – sempre sem adoçar.  O sabor doce inibe o apetite.
Para fortalecer os pulmões, intestino grosso e a pele: comer verduras, jiló e berinjela.
Para tosse com catarro: bater no liquidificador uma fatia de abacaxi com casca, couve, agrião e água. Tomar sem coar.
Colocar pimenta alho e louro no feijão.
Usar arroz e macarrão integrais
Evitar açúcar, banana leite, queijo, manteiga, margarinas e produtos de origem animal.

Trocar proteínas de origem animal por proteínas vegetais tem se revelado útil no tratamento da hipertensão arterial.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

O PT tem algum mérito?

Será que o PT tem algum mérito? Em relatório reservado da Empiricus (espero que eles me perdoem) é dito quanto à Petrobrás: ,,,, dívida da ordem de R$ 400 bilhões, isso sem ajustar à disparada do dólar este ano e ...os US$ 12,5 bilhões adicionais de empréstimos em negociação.....
Ora, esse é somente um dos inúmeros roubos que temos sofrido entra governo, sai governo. Todos os partidos tem sido agremiações destinadas a nos roubar, assim como os governantes, com raras exceções. Portanto,o mérito do PT foi ser incompetente até e tanto no roubo que estamos agora cientes do quanto temos sido roubados e que a solução não virá dos políticos e sim de nós mesmos que podemos dar uma banana para eles. Para isso é preciso que estudemos mais, trabalhar e economizar, aplicar as economias, fortalecer nossos laços de amizade, nos tornarmos pessoas mais confiáveis (confiabilidade = capacitação + honestidade) ganharmos mais e pagarmos menos impostos, criar sistemas, clubes de vigilância do Estado para fiscalizarmos como políticos e funcionários públicos gastam o dinheiro que recolhem com os impostos que pagamos e por aí vai.... A este tipo de postura podemos chamar de Ação Direta!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Dores na Coluna Vertebral, como livrar-se delas.

Iniciamos a produção e hoje divulgamos o número um de uma série de vídeos com informações para você ter mais saúde, sucesso e felicidade. Neste primeiro, começamos falando sobre dores nas costas. Se não gostou, me fale. Se gostou, compartilhe com seus amigos. Aceito também sugestões para falar sobre outros assuntos de seu interesse.
Veja: http://youtu.be/OIMLXYQyCUA

domingo, 18 de janeiro de 2015

plantar árvores

Tarde demais para plantar uma árvore: agora é hora de cada um ter seu "Projeto Pessoal de Reflorestamento Sustentável"!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Mais médicos


Na antiga União Soviética (URSS) existia uma figura no serviço público de saúde denominada "Feldsher", ou Feldscher em alemão, cujo significado literal era "aparador do campo". Os feldsher soviéticos eram profissionais da saúde, formados em "saúde básica", que intermediavam o acesso do povo à medicina oficial, em especial nas áreas remotas, rurais e periferias soviéticas, sendo uma espécie de práticos de saúde, ou paramédicos como são chamados hoje em dia, e exerciam cuidados básicos em clínica, obstetrícia e cirurgia às populações dessas regiões.
Sua inspiração e nome derivavam dos feldscher alemães que surgiram no século XV como operadores de saúde (cirurgiões barbeiros) e com o tempo se espalharam ao longo do que foi o império prussiano e territórios eslavos, compondo a linha de frente também nas forças militares, sendo uma espécie de força militar médica nesses exércitos eslavos e saxões. Em vários países foram adotados como profissionais da linha de frente, atuando sempre nos cuidados básicos e em alguns casos chegando a se especializar em alguma prática específica, como optometria, dentista e otorrinolaringologia. Na Rússia começaram a se popularizar a partir do século XVIII.
Diferentemente dos médicos, os feldsher possuíam uma formação mais curta e limitada. A duração do curso era em 4 anos e envolvia basicamente treinamento em ciências básicas e treinamento simples em ciências médicas clínicas, em especial medicina interna, serviço de ambulância e emergência pré-hospitalar e sempre tinha um espaço para treinamento militar, em campo de treinamento do exército, pois os feldsher estavam na linha de frente da nação, nas fronteiras. Eram 8 anos de colégio mais 4 em treinamento prático, considerados, portanto de nível técnico. Era um treinamento um pouco melhor que a de enfermeira, cujo foco era mais os cuidados básicos de saúde e técnicas/procedimentos de enfermagem.
Os médicos soviéticos, ao contrário, levavam pelo menos 10 anos de colégio mais 7 anos de faculdade com carga horária total pelo menos duas vezes maior (estudavam todos os sábados). Apesar do tamanho valor de formação, seus salários eram ridículos, pois o regime socialista os considerava "servos do povo".
O sistema cubano de ensino médico reproduziu, a partir do encampamento da Revolução Cubana pela URSS em 1961, esse sistema de formação em saúde. Os médicos cubanos, de verdade, ficam lá em Cuba, em sua maioria. O que Cuba "fabrica" aos milhares, todos os anos, com projetos como a ELAM e demais faculdades, em cursos de 4 anos, não são nada além da versão cubana dos "feldsher" soviéticos. São paramédicos treinados para atuar em linha de guerra, campos remotos e áreas desprovidas em geral.
A diferença é que Cuba "chama" esses feldsher de "médicos", inflando artificialmente a sua população de médicos. Com essa jogada, Cuba possui um dos maiores índices de médicos por habitante do planeta. E isso permitiu outra coisa ao regime cubano: Usar esses feldsher como agentes de propaganda de sua revolução e seus interesses não apenas dentro, mas fora de seu território.
Ao longo de décadas o regime cubano vem fazendo uso do empréstimo de mão-de-obra técnica, paramédica, porém "vendida" como médica, para centenas de países a um custo bilionário que fica todo com o regime cubano. Literalmente, como na URSS, os feldsher são "servos do povo" (no caso, leia-se "povo" como Partido Comunista de Cuba).
Recentemente a presidente Dilma lançou um demagógico e absurdo projeto de "resgate da saúde" do povo brasileiro às custas apenas da presença de "médicos" em locais desprovidos do mesmo, aliás, por culpa do próprio governo.
Ao invés de pegar os médicos nacionais, recém-formados ou interessados, e criar uma carreira pública no SUS e solidificar a presença do médico nesses povoados, ela resolveu importar feldsher cubanos a um preço caríssimo, travestidos de médicos, ao que seu marketing chamou de "Mais Médicos". Diante da recusa inicial, simulou-se uma seleção de nacionais, dificultada ao extremo pelo governo, para depois chamar os feldsher.
O objetivo aqui é claro: O alinhamento ideológico entre os regimes, o uso de "servos do povo" para fazer propaganda do governo, encher o bolso dos amigos cubanos de dinheiro e evitar a criação de uma carreira pública que poderia ser crítica e demandadora de recursos. Como não podiam se assumir como fedlsher, jogaram um jaleco, os chamaram de médicos e os colocaram para atuar como médicos de verdade.
Por isso as cubanadas não param de crescer. Por isso os erros bizarros, os pânicos diante de pacientes sintomáticos. Os cubanos não são médicos, são feldsher - agentes políticos com treinamento prático em saúde - que vieram ao Brasil cumprir uma agenda política e, segundo alguns, eventualmente até mesmo militar.
São paramédicos. Isso explica as "cubanadas". Se houvesse decência no Ministério do senhor Padilha, ele retiraria o termo "médico" desse programa, e seria mais honesto.
Lembre-se sempre:
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim".
Reenvie imediatamente esta mensagem para toda a sua lista, o Brasil agradece.
Por Francisco Cardoso
"Publicado pelo Conselho Federal de Medicina"